A Melhor História da Minha Vida

quarta-feira 9 de setembro de 2015, por Fernanda Fofonca
Last Forever Part One

Recentemente, reassisti How I Met Your Mother pela quarta vez. Mesmo conhecendo-a tão bem, eu ri e chorei em cada momento, do início ao fim. Ao longo das últimas duas semanas, eu compreendi novas facetas da trajetória de Ted Mosby. E, finalmente, cheguei a seguinte conclusão: HIMYM é a melhor história que já acompanhei na minha vida. Sinto muito, Harry Potter.

Antes de prosseguirmos (e de alguém vir aqui me xingar), gostaria de deixar alguns pontos claros: não, eu não acho que How I Met Your Mother seja a melhor história já criada pelo ser humano. Existem milhares de livros, filmes e séries infinitamente superiores (e muitos deles eu já li e acompanhei com imenso carinho). Entretanto, eu acredito que sempre julgamos tudo de duas formas completamente diferentes. O primeiro julgamento é racional, simples e direto: são avaliadas questões técnicas, inovação, relevância, construção de roteiro, etc. Já o outro julgamento é puramente emocional, baseado em nossas experiências de vida e os sentimentos que carregamos no momento em que estamos apreciando algo. São duas formas distintas de avaliação, as duas igualmente importantes e relevantes.

 

Você escreveu todas essas coisas para as quais dizer adeus… Mas há tantas coisas boas na lista. Por que não dizer adeus às coisas ruins? Diga adeus aos momentos que se sentiu perdido. Aos momentos que houve um não, ao invés de um sim. Aos arranhados e machucados. A toda a mágoa. Diga adeus a tudo o que você quer fazer pela última vez.

 

Dito isto, adianto que a opinião que aqui expresso é puramente emocional e totalmente alheia a informações técnicas, qualidade de roteiro e afins. Acredito que, em determinadas situações, é importante desligar o botão do julgamento racional e simplesmente se deixar levar pelos sentimentos que surgem. Bom, dado o recado, vamos prosseguir.

Aos que não conhecem a série, How I Met Your Mother conta a jornada de Ted Mosby em busca do amor de sua vida. É uma sitcom no estilo clássico, e com muitos detalhes que lembram Friends. Um grupo de amigos, um bar, cenas de cotidiano. Nada de mais. Entretanto, apesar da aparente normalidade, a narrativa me envolveu completamente. Principalmente porque, por diversas vezes, me senti tão perdida quanto o protagonista.

Como falei anteriormente, existem diversos fatores que fazem algo tornar-se especial para nós. Nossa história de vida e o momento que vivemos exercem um peso enorme quando decidimos se gostamos ou não de algo. Por este motivo as opiniões são sempre tão contraditórias, já que a história de vida de cada um é única.

Para entendermos um pouco o meu ponto, precisamos estabelecer uma nova informação: meu último ano foi (e está sendo) uma merda. Todas as expectativas que eu tinha para a minha vida pessoal e profissional foram completamente frustradas. Por muitas vezes me senti perdida, um lixo, sem saber o que estava fazendo com a minha vida e onde gostaria de chegar. Acredito que todos nós, de tempos em tempos, passamos por estas crises. Algumas são mais longas, outras são mais curtas. Mas superamos (eu espero) e a vida segue. E, como infelizmente descobrimos, ela não está nem aí se estamos prontos ou não: a vida não fica esperando. Precisamos correr atrás dela e retomar as rédeas da situação.

 

tumblr_mkvv5io3xH1r6aetfo1_500

 

Durante este período, eu revi How I Met Your Mother duas vezes. E, nas duas ocasiões, ela me ajudou a me sentir melhor. Veja bem, o Ted sempre teve sua meta estabelecida: casar-se, ter filhos e se tornar um grande arquiteto. Entretanto, como ele percebe ao longo dos nove anos seguintes, a vida nunca acontece do jeito que planejamos. Na verdade, o universo tem o mal hábito de pegar o seu plano, enrola-lo bem e usa-lo para bater em sua cabeça. Repetidas vezes.

Ao longo das nove temporadas, o Ted sofreu diversas decepções amorosas e profissionais. Ele foi abandonado no altar, foi demitido, desistiu da pessoa que ele acreditava ser o amor da sua vida. Acima de tudo, ele foi deixando de acreditar cada vez mais que a vida com a qual ele sonhava poderia se concretizar. Ele se sentiu totalmente sozinho. Mas, afinal, quem nunca se sentiu assim?

 

Este foi o ano em que fui abandonado no altar. Foi o ano que eu levei uma surra de um bartender maluco. O ano em que fui demitido. O ano em que apanhei de uma cabra. Uma cabra menina. E foi o melhor ano da minha vida! Porque se nenhuma dessas coisas tivesse acontecido, eu nunca teria conseguido o melhor emprego que já tive. Mas, o mais importante, eu não teria conhecido a mãe de vocês. Pois, como sabem… ela estava naquela sala.

 

O bom de tudo é que a história é narrada pelo Ted do futuro. E o Ted de 2030 nos da esperança. Esperança de que, por mais que as coisas pareçam difíceis agora, elas irão melhorar. Por mais que nada faça sentido hoje, quando olharmos para este mesmo momento do futuro, tudo irá se encaixar. E, apesar de toda a dor que estamos sentindo, valerá a pena, pois isto nos tornará alguém melhor.

Mais do que um simples entretenimento, How I Met Your Mother me proporcionou momentos de reflexão sobre a minha vida, minhas escolhas e frustrações. Algumas das lições me ajudaram a levantar no dia seguinte e acreditar que, em algum momento, tudo irá melhorar e começar a fazer algum sentido. E, analisando de forma totalmente emocional, eu entendi a importância que esta obra tem sobre a minha vida. Por isso que afirmo, sem medo algum de estar errada, que ela é a melhor história da minha vida. Afinal, é uma opinião totalmente sentimental.

Para o futuro, ignorando todas as opiniões alheias e questões puramente racionais, eu espero que você encontre aquela história que será a melhor de sua vida. Pois, digam o que quiser, isto é algo importante e irá ajudá-lo em algum momento. Deixe seu julgamento puramente emocional liberto. As vezes faz bem para a alma.

 

Crianças, vocês não podem se prender ao passado. Porque, não importa o quanto vocês o segurem, ele já passou.

Compartilhe:


Comentários

Comentários

  • Jeanderson Kelmer

    Também tenho How I Met Your Mother como a série da minha vida, já perdi a conta de quantas vezes assisti as temporadas, e a cada vez que assisto consigo tirar lições novas que levo pra vida. É incrível como é fácil se identificar com os personagens da série, não só o Ted mas todos os cinco protagonistas, todos são extremamente bem construídos. Além de todo o elenco de apoio ser fantástico! Acho que o mais valioso que aprendi com a série é a importância de se ter os amigos por perto, passei a dar muito mais valor aos meus amigos e aos momentos que passo com eles, graças a HIMYM.

    • http://www.projetoxpodcast.com.br/ Fernanda Fofonca

      Exatamente. Todos os personagens, em algum momento, passam por algo que pode ser um aprendizado. Desconsiderando alguns exageros (que são naturais, por se tratar de uma comédia), acredito que os personagens foram construídos de forma bem real.
      No geral, acho o enredo fantástico. Parece que muitas coisas que os personagens passam se encaixam com situações da minha vida e isso é incrível.

  • Karina Kelly

    Fer, eu adorei o que você escreveu e graças a isso me fez querer ver a série. Nesse final de semana comecei a ver e estou gostando bastante. Há momentos na vida que passamos por tantas incertezas e que tantas coisas começam a dar errado que passamos a ficar nos perguntando pq isso e aquilo justo com a gente. Mas tudo isso faz parte da nossa história, E lendo o que você falou da série, coisas que ainda vou ver alias, só da mais força para acreditarmos que tudo ainda vai melhorar. O legal é que cada personagem tem uma personalidade diferente e assim podemos tirar varias lições com a manera de ser e agir de cada um. Obrigada pela indicação, se não tivesse visto seu texto, não teria conhecido How I Met your Mother, veio em boa hora pra mim Emoticon grin